Qual o melhor Vade Mecum para 2ª fase da OAB em penal?

Todo estudante de Direito que se preze sabe que o Vade Mecum é um grande aliado, não só na hora de estudar para a prova da OAB, como também durante toda a sua futura vida profissional.

Neste caso, se você está pensando em investir na preparação para o Exame de Ordem, é bom saber que além de contabilizar os custos de um curso OAB, é imprescindível também considerar o investimento em materiais de qualidade, como por exemplo, um bom Vade Mecum.

Assim, sendo um passo importante de como passar na prova da OAB, a escolha de um vade mecum fará toda a diferença nos seus estudos. E para te auxiliar nesta decisão, elaboramos abaixo um tutorial de como efetuar esta escolha com assertividade. Vamos lá?

 

O que é Vade Mecum?

Em primeiro lugar, para aqueles que ainda não estão muito familiarizados no assunto, vamos explicar o que é um vade mecum e qual a sua utilidade para os estudantes de faculdade ou cursinho OAB.

O nome Vade Mecum é originário de uma expressão em latim que significa “vai comigo”. E assim, a definição não podia ser mais perfeita, uma vez que os acadêmicos de Direito o carregam para todos os lugares.

Por definição, o Vade Mecum é um livro que reúne as principais leis brasileiras. Por isso, para os estudiosos de Direito e profissionais da área, ele se torna essencial ao permitir a consulta das leis mais importantes como a Constituição Federal, o Código Civil, as Leis Trabalhistas e muitos outros.

Ainda neste sentido, o Vade Mecum pode trazer diversas leis, ou ser especializado em uma área específica do Direito, como por exemplo, o Direito Penal, e por isso tratar apenas das leis sobre este assunto.

Atualmente, devido ao avanço da tecnologia, além de ser encontrado em grande parte das livrarias, em formato físico, o Vade Mecum também está disponível em diversos tipos de mídia como celulares e computadores.

 

Como escolher o melhor Vade Mecum?

Seja para consulta durante o período de faculdade ou durante um preparatório OAB, escolher o melhor Vade Mecum requer alguns cuidados básicos. Por isso, separamos abaixo algumas dicas que poderão nortear o seu processo de escolha.

  • Não use um Vade Mecum compacto. Geralmente, estes modelos não trazem todo o rol de leis necessárias para a consulta;
  • Não é que seja proibido, é lógico, mas não recomendamos Vade Mecuns para o Exame de Ordem, seja de qualquer editora, que não seja do ano corrente. Essa é uma regra básica: a banca organizadora do Exame de Ordem, ou seja, a FGV, pode cobrar qualquer lei que tenha sido publicada antes do edital. Desta forma, caso o candidato tenha em mãos um material desatualizado, com certeza sofrerá impacto negativo no seu desempenho.
  • Fique atento ao edital do Exame de Ordem, uma vez que é expressamente proibido portar Vade Mecum com legislação comentada, anotada ou comparada.
  • Como já mencionamos anteriormente, muitas editoras possuem Vade Mecuns específicos para cada disciplina. Em regra, estes vades sozinhos dão conta de atender os candidatos na hora da prova. Alguns, contudo, precisam da companhia de um vade geral, para complementação, por não serem tão completos assim. O ideal é que você se sinta seguro ainda durante o seu período de preparação para a prova.
  • Não demore para adquirir o seu Vade Mecum. Boas edições, de editoras mais conceituadas, costumam se esgotar rapidamente. E neste sentido, pode não haver tempo hábil para reposição do material antes da sua prova.
  • Se não for o seu objetivo principal, não compre Vade Mecuns de jurisprudência ou focados em carreiras específicas, como magistratura ou policiais.
  • Você já deve saber que um bom Vade Mecum custa dinheiro. É um investimento preciso. Logo, tenha isso em mente na hora de adquirir um. Faz parte do processo de aprovação.
  • Para muitos professores de curso online OAB ou presenciais, estudar para a 2ª fase do Exame de Ordem sem um Vade Mecum é um imensa perda de tempo, até porque o Vade será presença garantida no grande dia.
  • Busque recomendações de profissionais experientes que já fazem ou fizeram uso do material. Uma boa pedida é buscar a opinião de seus professores.

Pode parecer besteira para alguns, mas o projeto gráfico do material importa e muito. Preste atenção no tamanho da fonte utilizada na impressão; padronização dos textos; espessura das folhas e organização e disposição do texto.